Destaque

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Corpo, Alma e Espírito















Há duas interpretações sobre a composição físico-espiritual do homem (antropologia).
A primeira, defendida pelos "tricotomistas", diz ser o homem formado de corpo, alma e espírito.
A segunda, a dos "dicotomistas", sustenta que o homem possui apenas corpo e alma, sendo esta dividida em duas substâncias: a alma propriamente dita, ligada aos nossos sentimentos, e o espírito, que tem consciência e possui o conhecimento de Deus.

O Antigo Testamento não faz muita distinção entre alma e espírito: "E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o fôlego da vida. E o homem foi feito ALMA VIVENTE" (Gn 2.7).

O termo espírito deriva do hebraico "ruah", do grego "pneuma", do latim "spiritus", e significa sopro, hálito, vento, princípio de vida. Logo, nossa parte imaterial ou espiritual foi formada de uma parte da essência (do sopro) de Deus (Ez 3.19; Pv 23.14; Sl 33.19).

No Novo Testamento, vemos alguma distinção entre alma e espírito: "A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador"(Lc 1.46-47). Outras referências: Hb 4.12; 1 Ts 5.23. Jesus disse: "Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito" (Lc 23.46).

A verdade é que o homem possui uma parte material (o CORPO) formado do pó, e uma imaterial formada do sopro de Deus, semelhante a Deus. Quando esta parte imaterial se relaciona com a carne ( sensações, emoções, vontade), chama-se ALMA; quando serve de ligação com Deus, chama-se ESPÍRITO. Admitimos que alma e espírito são inseparáveis e imortais, com funções distintas no corpo.


0 comentários:

Postar um comentário