Destaque

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

William Carey e a Índia nas Mãos do Senhor

De sapateiro a pregador, William Carey, o mais velho dos cinco filhos de uma família muito pobre.
Apaixonado por livros de aventura como Robinson Crusoé e as Viagens de Gulliver.
Carey acumulou três carreiras paralelas: sapateiro, professor e pastor.

Sua saúde nunca foi muito boa, aliás, sua família viveu muitos transtornos.
Perdeu um filho ainda quando bebe e sua esposa por este motivo passou a sofrer problemas mentais.
Dinheiro era raro até para alimentar-se e mesmo assim defendia a causa das missões.
John Thomas, médico, decide servir na Índia e Carey vê nisto a oportunidade.

A situação era abstrata. Carey na ocasião tinha sua esposa grávida e mais três filhos, mas aquele era o seu sonho.

Novembro de 1793 - Chegam em Caucutá e em situações terríveis. Sem saúde, Dr. Thomas totalmente individado e o pior, sem conversões.

Seu filho mais jovem morre e os mais velhos encontram-se indisciplinados.
Em 1800 mudam-se para Serampore juntando-se com missionários dinamarqueses. Ali ocorreu as primeiras conversões, com o apoio de Félix, filho mais velho, e agora cristão.

Em pouco tempo, uma igreja fora levantada, e em mãos uma tradução do Novo Testamento em bengali.

Em 1834, Carey já havia traduzido a Bíblia para 44 línguas ou dialetos.
O mais bonito é que ao invés de perder o seu tempo condenando o induísmo. carey proclamava a morte e a ressurreição de Cristo.

Na manhã de 9 de Junho de 1834, a Índia disse adeus ao grande Pai das Missões, e os Céus disseram bem-vindo a um servo fiel!
Carey morreu com 73 anos, respeitado por todo o mundo, como o pai de um grande movimento missionário. Quando chegou à Índia, os ingleses negaram-lhe permissão para desembarcar. Ao morrer, porém, o governo mandou içar as bandeiras a meia haste em honra de um herói que fizera mais para a Índia do que todos os generais britânicos. Grande foi a contribuição de William Carey para o Reino de Deus, e grande será o seu galardão.

0 comentários:

Postar um comentário